TRANSLATE THIS SITE

Pessoas que me motivam

24 de out de 2010

FILHOS SAUDÁVEIS - Parte 2 (introdução dos alimentos)

Olá lindas!

Hoje vou  compartilhar com vocês como foi o início da alimentação da minha filha, que hoje tem 10 anos e sempre teve corpinho perfeito por natureza, sem neuras.
Quem se interessar em ler a 1ª parte de FILHOS SAUDÁVEIS, clique aqui.

Já lhes contei que ela foi amamentada no peito até 1 ano e meio, mas o peito deixou de ser a única e exclusiva fonte de alimentação aos 5 meses e meio. Eu queria esperar até 6 meses, mas a pediatra me pediu para começar a introduzir outras coisas antes, paulatinamente, para não dar 2 choques de uma vez: minha volta ao trabalho e a introdução de alimentos.
1ª semana aos 5 meses e meio

Bom, começamos com sucos de frutas, maçã raspada, banana amassada, pêra e papinha de legumes. 
Nada industrializado, naquela época não havia acesso a produtos orgânicos como há hoje, mas eu higienizava bem os legumes e frutas, lavando-os, escovando e os deixo até hoje imersos na água com bicarbonato de sódio para eliminar agrotóxicos por 20 minutos.
Ela não estranhou nada, pelo contrário, gostou bastante e até segurava em uma colher para tentar comer junto e sozinha, se lambuzando toda (adoro!!!). A papinha eu não batia no liquidificador, mas esmagava os legumes com garfo. No início, eu fazia cada legume isoladamente, sem sal nem tempero, para ela sentir o gosto de cada um. Depois, aos poucos, introduzi um tiquinho de sal e temperos, como salsinha, cebolinha, manjericão, depois azeite, entre outros. Após alguns dias, eu comecei a cozinhar ou frango ou carne na comida dela, mas sempre tirava a pele e a gordura da proteína antes de colocar na panela.
Com 6 meses e meio, toda lambuzada
É importante estudar e observar bem o gosto da criança, para que ele seja respeitado. Até hoje, ela é "apresentada" a muitos alimentos, mas tem coisas que não passam "goela abaixo".
Gente, o mais engraçado é que,  ela nunca curtiu cenoura. No início, tentei adicionar temperos diferentes, mas ela tinha mania de cuspir no ato o que não a apetecia. Depois eu tentei esconder a cenoura em outros legumes, ou com a proteína (carne e frango), mas não teve jeito. A cenoura foi sempre cuspida. Sempre! As únicas vezes em que ela comeu cenoura foi na canja, mas mesmo assim ela tem de estar bem esmagada, misturada aos outros ingredientes.
Eu tentei fazer tudo o que não fizeram comigo quando criança com ela e parece que funcionou:
1.  A refeição foi sempre feita com calma., sem forçar para que ela comesse mais rápido.
2.  O leite após os 6 meses foi o Nan, mas logo passou a ser o de caixinha e desnatado. A pediatra nos explicou que o leite em pó, o semi-desnatado e o integral têm todas as vitaminas e minerais que o leite desnatado tem,  com o agravante de eles terem mais gordura, o que não é necessário para a criança. Além disso, o leite desnatado de caixinha tem a mesma consistência que o leite materno. Então, para quê engrossar o leite que ela tanto gostava?
3.  Achocolatado? Ela só descobriu que existia depois que foi para a escola, aos 2 anos anos. Gostou e até hoje toma achocolatado. Nesse ano, aos 10 anos, atendi aos seus pedidos para tomar achocolatado light. Um dia, há uns 3 ou 4 anos, ela quis provar do meu e gostou. Ela sempre me pedia para eu colocar o meu no seu leite porque “era mais gostoso”, mas eu não cedia porque era light. Só que aos 10 anos ela já faz o seu próprio copo e eu fiquei sem achocolatado várias vezes. Ora, para que brigar por bobeira? Paramos de comprar o comum e açucarado e ela está feliz.
4.  Jamais insisti para que ela “limpasse o prato”. Gente, eu fiquei com a minha avó, portuguesa com certeza, até os 4 anos de idade. Se eu nao deixasse o prato LIMPO, ela me colocava pimenta na boca. E achavam isso certo por causa da fome no mundo!!!! Sem comentários de novo! Enfim,  minha filha tem um “termômetro” interno (eu não me recordo de ter jamais tido algo parecido dentro de mim) que diz a ela quando ela está satisfeita. Nesse momento, quando ela era bebê, ela parava de comer e virava o rosto. Se a gente insistisse com a colherada e ela colocasse a mão na colher e não a boca, era hora de parar. Eu tive de adaptar o tamanho das refeições no seu prato ao tamanho do seu estômago. Mas como eu descobria o tamanho do estômago dela? Observando quando ela me dizia para parar. Esse era o tamanho do seu estômago!
5.  Os horários das refeições sempre foram respeitados, mas algo era oferecido a cada 3 horas. A pediatra me deu uma lista de alimentos que ela já podia comer e eu os oferecia. Se ela quisesse, ótimo. Se não quisesse, ok, chegava uma hora em que a fome batia e eu oferecia o alimento.
6.  Na fase de colocar coisas na boca, ela tinha mordedores e brinquedinhos com esse propósito. Na minha família, nessa fase dá biscoitos para a criança morder. Sem comentários...
7.  Biscoitos, bolachas e outras “cossitas” não fizeram parte de seu mundo até os (quase) 2 anos de idade. 

Como eu fazia em eventos sociais?
Ela comia antes das pessoas e brincava enquanto os demais comiam a refeição. Mesmo quando ela ficava conosco, sentada na cadeirinha, ela tinha seu prato e não pedia nossa comida. Acho que o bebê não se liga muito no que os outros estão comendo, principalmente quando ele não conhece o alimento e não sabe qual é seu gosto. Além disso, ela não ficava em pé na altura da mesa de doces e nem se interessava pelos mesmos, pois brincar era mais importante para a criaturinha.
Até bolo de aniversário ela achava o máximo pelas velas e enfeites, mas não sabia que aquilo era comestível. 

Bebidas?
Água, leite, sucos naturais e água de coco natural. Mais tarde aceitamos dar de caixinha também, mas ela ainda prefere o natural.

Emoções x comida? 
Não rolou, apesar de ela ter sofrido muito com esofagite de refluxo nos 5 primeiros meses de vida. Ela chorava muito e ficava horas no meu peito, mas logo isso foi diagnosticado e solucionado. Nós colocamos 3 volumes da Enciclopédia Britânica sob os pés da cabeceira do seu berço e, com a medicação foi melhorando. A bichinha acordava lá no pé do berço devido à inclinação, mas funcionou.

Como eu consegui protegê-la de tudo o que não era saudável?
Não deixei minha filha sozinha com ninguém além de seu pai até quase 3 anos de idade. Até a deixei com minha mãe para ir ao cinema algumas vezes, mas não ficava mais de 3 horas fora e com 1000 recomendações... Se a gente percebesse que eles tinham “apresentado” alguma coisa fora do que a gente deixava, eles sabiam que eu ia brigar feio. Afinal de contas, ninguém queria privá-la de nada, só retardar o encontro dela com certos alimentos, como açúcar e industrializados.

Somos perfeitos? 
Longe disso! Nós demos chupeta à pequena. Não me recordo o por quê exatamente, mas teve algo a ver com a esofagite de refluxo. Acho que foi um modo dela não cuspir o remédio (Ah, sim! Ela cuspia remédios e tem grande dificuldade em ingerí-los até a presende data - uffff!) 

Bom, no próximo post desta série vou lhes contar como ela comeu açúcar (e outras coisas) pela 1ª vez. Foi engraçado!!!

Beijos a todas e vamos passar este “finde” sem jacar, ok, amigas??!!!!

11 comentários:

★$ Naиđ♂ N£яi $★ disse...

Gostei da história, bem legal. Um exemplo

Dida - Futura Ex-Gordinha disse...

Oi!
Passando rapidinho só para deixar um beijinho!
Bom começo de semana para você!

Dani disse...

Que post legal!!

Sabe q temos muito em comum nisso...
Minha filha come de tudo e graças ao meu incentivo quando era bb..

Nunca forço ela a comer, tipo limpar o prato.
Não tenho trabalho nenhum pra q ela coma alimentos saudáveis, afinal, somos os exemplos dos pequenos não é mesmo?

Continue assim, só tem a ganhar, vcs duas rsrs

Bjinhus

Celly disse...

Oi amiga, nossa que pais dedicados vcs são. Não tenho filhos ainda, mas quando tiver quero cuidar nesse quesito tb.
Tenha uma ótima semana.

disse...

Que legal amiga, com certeza ela será um pessoa muito mais saudável e sem neuras com a comida! Adorei o exemplo!
Beijos

Lu disse...

Oi Sô!!
Vi seu email e te mandei um torpedo depois me diz se recebeu ok?!
Vamos combinar sim de pedalar no FDS.
Bom, qto ao chocolate é mesmo que eles recomendam o normal ao invés do diet? Como fui diabética tento evitar doce, mas tem horas q não dá, sinto muita falta!
Amiga, adorei esse post, pretendo ser mãe logo e gostaria muito de poder cuidar assim da alimentação do meu bebe, hj vejo crianças de 1 ano já tomando coca cola, isso me revolta!! Mas cada um cada um né...que Deus ilumine essas mães preguiçosas...rsrsrsrs
Aguardo próximo post....rs
Bjs
Lu

Lu disse...

Oi Sô!!
Vi seu email e te mandei um torpedo depois me diz se recebeu ok?!
Vamos combinar sim de pedalar no FDS.
Bom, qto ao chocolate é mesmo que eles recomendam o normal ao invés do diet? Como fui diabética tento evitar doce, mas tem horas q não dá, sinto muita falta!
Amiga, adorei esse post, pretendo ser mãe logo e gostaria muito de poder cuidar assim da alimentação do meu bebe, hj vejo crianças de 1 ano já tomando coca cola, isso me revolta!! Mas cada um cada um né...que Deus ilumine essas mães preguiçosas...rsrsrsrs
Aguardo próximo post....rs
Bjs
Lu

Cristiane disse...

Oi flor. Ter filhos deve ser tão bom ainda mais quando se tem a certeza de que se esta fazendo o melhor, o possivel e o impossivel para dar e fazer o melhor para eles. Parabéns e boa semana, bj

Regina disse...

Oi flor
Vim desejar uma bela semana...Firme e forte sempre...Beijosss

*Lela* disse...

Estou adorando teu relato;

um respeito a vida da tua filhota! temos muito de igual*

Vou continuar lendo...

Beijokas

Flá BH disse...

temos que cuidar da alimentação deles desde cedinho ne rs

tenha uma ótima terça-feira

Beijos

MANUTENÇÃO DO PESO

META ATINGIDA EM 70 SEMANAS (25/02/2011, MEU NÍVER DE 48 ANOS) = 343G/SEMANA

POSTS MAIS POPULARES